sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A luz que assombrou o sonho

Caros leitores, antes de mais uma nota prévia; o assunto é controverso, e as opiniões sobre ele infinitas, portanto todo este artigo trata uma opinião e não uma desacreditação religiosa ou espiritual.

Deus, centro do mundo, centro dos problemas, centro de muitas religiões, centro da vida... ocupa sem dúvida um papel central quer esse papel positivo ou não. Muitos dão-lhe o papel de monitor da vida, uns outros ignoram, outros criticam. Assumo que esta figura foi criada devido ao facto da humanidade precisar de um ser que lhes seja superior, um governo fictício ao qual poderemos sempre suplicar por ajuda nos momentos de maior dificuldade e ao qual atribuimos o feito quando não encontramos uma explicação lógica...enfim surgiu por necessidade.Necessidade esta que se pagou, que se pága e se pagará muito cara.
É fácil recordar as guerras e conflitos que se originaram devido a diferenças entre religiões... e não há fim à vista. Será que podemos considerar este fruto da imaginação humana uma "doença"? Não sei, talvez. Se assim for a verdade é que não há cura, e toda uma raça acabaria por cair catastroficamente na destruição, nem mesmo um homem de poder colossal conseguiria impedir o inevitável não é tempo de heróis, é tempo de união, lógica...inteligência. Pela supremacia de uma religião o homem deixou de temer a morte, o facto de inúmeras pessoas serem assassinadas diariamente em todo o mundo tornou-se tão comum como o nascimento de outras tantas criaturas. Por isso apareceu a escravidão, a selvajaria que ultrupassam o horror de morrer, isto só pode ser combatido com mais derramamento de sangue, e o ciclo nunca acaba.
Solução? Não sei, não vejo, talvez eu esteja errado e esteja para vir o messias que nos salvará a todos... talvez tudo acabe, talvez o inexplicável aconteça...e como eu detesto o inexplicável!

2 comentários:

Van disse...

Deus, religião, fiéis... um tema deveras controverso, que tem sido e continuará a ser mto debatido ao longo dos anos.
Em relação ao texto, concordo com cada frase que foi escrita. Muitas pessoas, principalmente as de gerações mais antigas, vivem alienadas na religião. Esta é, como dizia um filósofo (d q não m lembro o nome), "o ópio do povo". Para elas este texto não terá qualquer sentido, porque acreditam piamente no "ser superior" q guia as suas vidas, mas para as mentes iluminadas, como a do autor do texto, é a expressão de uma desilusão com o mundo em q vivemos actualmente.

Sofs disse...

“Para os crentes, Deus está no princípio de todas as coisas: para os cientistas, no final de toda a reflexão” – Max Planck

Religião vs Razão o conflito eterno!
De facto ninguém o pode negar…a religião gerou e gera guerras e conflitos, dos quais o homem só sai prejudicado. Evidentemente a fé e a religião nunca deixarão de existir. Mas apesar de tudo, eu ainda acredito, talvez por pura ingenuidade, que um dia, o valor tolerância religiosa seja praticado por toda a humanidade…penso que não se trata de acontecer o inexplicável, mas sim, na evolução gradual (e tardia) pela qual passará a sociedade.

Ps: se não estou em erro, o filósofo que disse “Ela é o ópio do povo” (ela = religião) foi Karl Marx.