quarta-feira, 26 de março de 2008

Quem tem culpa pá!

Caros leitores, o Rei está de volta! Para os poucos ou nenhuns que sentiram a minha falta, peço as mais sinceras desculpas, mas perdi a musa inspiradora que nunca possuí.
Estou de regresso para expor uma teoria largamente baseada em factos histórico-científicos. Todas as grandes catástrofes na história da humanidade têm como grande culpado aquele belo ser a que na gíria se dá o nome de mulher.
Vou apresentar algumas tragédias escolhidas aleatoriamente de maneira ligeiramente cronológica, para que possam verificar o impacto que as mulheres tiveram na história.
Para começar, posso falar sobre Adão e Eva. Todos os Católicos sabem que foram estas duas personagens que deram origem há humanidade. Penso que também é do conhecimento de todos, que Eva ludibriou Adão para que este comesse a maçã. Começamos logo mal porque este acto não caiu muito bem junto do Todo Poderoso. Um zero para as mulheres que ainda agora tinham chegado à Terra e já estavam a fazer asneira.
Avançando alguns milhares de anos vamos parar à Grécia antiga, sendo que aqui basta proferir um nome para toda a gente perceber o problema. Helena de Tróia. A bela Helena se tivesse ficado quieta a fazer o amor com o labrego do marido como as leis mandavam, tinha evitado uma guerra que matou milhares. Mas como não estava satisfeita teve de fazer a cabeça ao Paris para este a levar para Tróia.
Continuando a nossa viagem pelo tempo aterramos no século XX onde elas se esmeraram. Primeiro foi o Titanic. Quem viu o filme sabe que o marinheiro só não viu o iceberg porque estava a olhar para a rapariga que se pavoneava com o amante no barco. Sem me alargar muito, todos sabem que as mulheres provocaram a grande depressão. Se não fossem gastadoras compulsivas, os homens não tinham que investir na bolsa à toa. Se a mãe do senhor Hitler o tivesse educado convenientemente ou a Eva Braun lhe tivesse metido juízo na cabeça, os judeus seriam mais seis milhões.
Avançando mais uns anos chegamos ao fatídico dia de onze de Setembro de 2001. Era a mãe do senhor ter-lhe dado uns tabefes e ele não tinha lançado os aviões contra as torres.
Para terminar, gostaria de realçar o facto de as grandes tempestades terem sempre nome de mulheres.
Posto isto, penso que nunca mais arranjarei uma rapariga que me queira.

14 comentários:

Ana disse...

carissímo Apu

espero que tenha a noção que a única coisa acertada que disse neste post foi mesmo o facto de que depois de tal blasfémia contra o sexo mais forte de sempre nunca mais vai ter nenhuma rapariga que o keira!
não posso deixar de contestar alguns dos exemplos que deu:
1. quanto ao exemplo da Helena de Tróia se o Páris não tivesse sido fraco teria resistido à tentação que era a Helena e por outro lado se o marido tivesse aceite que esta já não o queria não teria ido atrás de vingança devido ao seu orgulho ferido;
2.no que diz respeito ao Titanic, caso não saiba o filme não corresponde inteiramente à realidade mas se quer ir por aí se o comandante não fosse um tarado(como a maioria dos homens são) não se teria distraído com a situação. o comandante possuia ainda outras duas características dos homens chamadas falta de responsabilidade e incapacidade de fazer, eficazmente, duas coisas ao mesmo tempo.
3. quanto a mãezinha do Hitler e dos terroristas do 11 de setembro caso não saiba um filho não se faz nem se educa apenas através da mãe, é necessária a participação de um elemento do sexo masculino. se por acaso esse elemento não participou na educação dos mesmos então trata-se de mais uma irresponsabilidade masculina e portanto não se podem culpar as mães que coitadas fizeram o melhor que podiam;
para finalizar vou-me referir às tempestades tropicais que o senhor incorrectamente afirmar possuem todas nomes femininos. já ouviu falar do furacão ignacio? do furacão Howard?da tempestade tropical kiko?posso estar enganada mas não me parece que esses nomes sejam femininos...

Mouro disse...

Bom, oh Apu, agora é que a arranjou bonita...

Apu disse...

Cara Ana, considere-se uma felizarda por eu despender do meu tempo pa lhe responder.
Para começar posso dizer que na sua questão sobre Helena de Tróia, os homens têm uma característica que os distingue das mulheres chamada pénis, o que faz com que a sedução seja algo dificil de resistir. Há também o orgulho que obriga a reaver o que é nosso por direito.
Para o titanic aplica-se a mesma caracteristica morfológica, tendo o julgamento do marinheiro sido toldado por influências externas que não deveriam existir.
Quanto às mães, é de senso comum que naquela época as mães educavam os filhos enquanto os homens trabalhavam para sustentar a familia. Não se pode ter tudo. Ou há educação ou há almocinho e jantarinho na mesa.
Os furacões só lhe peço para ver quais os mais devastadores, e depois diga se não são na grande maioria "mulheres".

Ana disse...

carissímo Apu


bom para começar aconselho-o a ir ao seguinte link http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Category_5_Atlantic_hurricanes
ai tem uma lista dos furacões de categoria 5 e como pode constatar existem vários cujo nome é masculino (Hugo, David, Andrew....).
no que diz respeito à caracteristica que os homens têm chamada pénis que eu saiba este não substitui o cérebro e sendo este o local onde todo o raciocínio se processa não entendo até que ponto é que a existência de um pénis impede que os homens pensem correctamente e exerção as suas funções laborais.
quanto à questão da educação e jantarinho na mesa nem merece qualquer tipo de reparo por tão má que é!
para a próxima esforçe-se mais a contra-argumentar!

Ana disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Moço, alguns comentários me ocorrem à ideia: relativamente ao Adão e à Eva, era necessário criar a ideia do "pecado" e, como quem escreveu os textos foi um homem, lá teve de pôr uma mulher como a má da fita;quanto à Helena de Tróia só posso dizer que não vale a pena tecer comentários sobre a mitologia grega, porque, como o nome diz, são MITOS;o Titanic não merece a minha prosa porque o filme é fraco, não é uma questão de sexos;a mãe do hitler não teve culpa porque, a figura paternal é que devia ser muito má e, além disso havia ali um problema genético porque os seus pais eram primos; quanto aos terroristas o problema não é das mães porque os filhos desde muito cedo acompanham os pais e as mulheres no islão não "têm voto" no que respeita a decisões. Mas porque não se lembrou da padeira de Aljubarrota? Joana d'Arc? E tantas outras? Mas basta ver que, a culpa das asneiras é dos HOMENS, olhemos para as guerras, quem as inicia? As mulheres? Quem ordenou o ataque do Iraque? Isto não falando na incapacidade inata dos homens para igualar a mulher no que respeita a gerir uma casa, trabalhar fora, cuidar dos filhos e ser o prolongamento das mãezinhas com quem os homens tão dificilmente cortam o cordão umbilical. Já agora, a sua mãe, deve ser uma grande mulher porque até o ensinou a escrever e por ter paciência para o aturar o mal deve ser mesmo a figura paternal!!!

Ana disse...

Caríssimo Apu

Constatei que existiam dois ou três erros ortográficos nos meus comentários: o primeiro é uma má acentuação em caríssimo, o segundo prende-se com a falta de acentuação em característica e o último é exerção em vez de exerçam! existe também um keira em vez de queira....é o que dá escrever tantos SMS.
Desde já peço desculpa pelos mesmos mas mantenho tudo o que disse!

Tarek Shalik disse...

Bem estas batalhas são sempre "pointless" apesar de gerarem sempre discussão, deixo-vos com uma frase de Henry Kissinger que ilustra a minha opinião..
"Ninguém jamais vencerá a guerra dos sexos: há muita confraternização entre os inimigos"

e com um link que mostra uma batalha desta enorme guerra

http://advertising.mailonsunday.co.uk/cinema_ad/

Apu disse...

Para todas as mulheres e raparigas que já comentaram a minha dissertação, tenho apenas uma coisa a dizer.
Se o sexo feminimo é o sexo mais forte, se as mulheres são assim tão superiores aos homens e se eu estou assim tão errado, porque é que vocês não conseguem viver sem os homens e têm relações afectivas com homens, sabendo que podem engravidar e dar a luz mais homens?

Mente Brilhante disse...

Bem, acho que está na hora de me meter ao barulho. O "simpático" Apu colocou uma questão deveras interessante: porque nos damos com eles? Bem, acho que o moço ainda é jovem e não se apercebeu que nós temos interesse na sua força bruta. Vejamos: com a mente superior que nós temos, vamos dispender energias a trocar pneus? Não, chamamos o homem. Está a entender a ideia, Apu? Quanto à questão da procriação, nós até damos à luz homens, porque quando são pequeninos até são engraçados. Quando crescem e ficam parvos, vão à vida deles.

Ana disse...

Bem dito mente brilhante!!!!

Tiago Mendonça disse...

Meus caros,

Foi levado este debate, desde o seu post aos comentários inerentes, num tom informal, que talvez seja, efectivamente, o mais adequado para se abordar esta questão, não ferindo susceptibilidades. Tentarei enveredar por um comentário mais sério, mas não saindo da lógica de informalismo que foi sugerido implicitamente pelo post em questão.

Quanto a mim, quem pensar que o homem e a mulher são iguais, que tem as mesmas capacidades e as mesmas potencialidades, pensa mal.

São seres bem diferentes mas complementares.

Foi dado o exemplo da força fisica, um dos factores onde o homem é superior. Por exemplo, na capacidade de organização e arrumação em casa a mulher é superior.

A grande descaracterização da família e consequente queda de valores deu-se quando a mulher sai para o mercado de trabalho, o que por si só reflecte a importância da mulher no equilibrio e gestão da casa e da família.

Mas sabemos também que as mulheres são mais complicadas, de trato mais dificil entre elas. Enquanto nos homens, " mandam-se uns socos " e depois bebe-se um copo, as senhoras são mais do diz que disse e do sorriso amarelo.

Acho que talvez os homens sejam mais estáveis. São mais capazes de gerir o seu tempo.

Mas isto tem muito que se lhe diga, e a discussão para além de milenar não pode ser analisada da mesma forma em todos os pontos historicos da nossa civilização.

Achei importante as cruzadas memoráveis que as mulheres tiveram para garantirem um tratamento igual perante o homem. Acho que a mulher deve ter os mesmos direitos que o homem.

Mas acho também, que muitas meninas de hoje, comprometem o esforço e dignidade das senhoras de ontem.

Acho que, por exemplo, nas discotecas uma mulher pagar menos que o homem, é uma forma de discriminação para as próprias mulheres. Porque pagarem menos e terem mais bebidas?

Não sendo pelos seus lindos "olhos" apenas se me afigura como explicação possivel uma estrategia de marketing totalmente promiscua que encara a mulher como um isco para atrair homens para lucros da própria casa.

Eu não gostaria de sentir que me estão a dar dinheiro, ou pelo menos a não me pedir o normal, para que eu sirva de isco.

E ainda pior me sentiria se o facto de apresentar um decote generoso revelando os tais lindos "olhos" que referia em cima, fosse factor para que pagasse menos do que uma outra rapariga, mais tapadinha.

Sinto-me bem em abrir a porta do carro à rapariga, de segurar na porta para ela passar, de deixar passar à frente, ou de me levantar no transporte público para a senhora se sentar. Sinto-me bem, em levar os sacos das compras, em dar o casaco quando está mais frio, em pagar o jantar.

Mas quem concorde que isto eu gosto de fazer está certo, não pode insistir numa igualdade cega entre homem e mulher.

Se assim fosse, os bombons que ofereço no dia da mulher tinham que ser retribuidos num dia do homem.

Boas reflexões para todos.

Anónimo disse...

here's something to remember when you're older - never pass up a bathroom, never waste a hard-on, and never trust a fart

Home Theater disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Home Theater, I hope you enjoy. The address is http://home-theater-brasil.blogspot.com. A hug.